Home / Notícia / Dólar avança e fecha a R$ 3,93 após adiamento de votação da Previdência na CCJ

Dólar avança e fecha a R$ 3,93 após adiamento de votação da Previdência na CCJ

17 de Abril, 2019 | Brasil e Mundo | Economia e Trabalho | G1

O dólar fechou em alta nesta quarta-feira (17), em meio às incertezas sobre o andamento da reforma da Previdência, após a votação de parecer na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) ser adiado para a semana que vem por falta de acordo. A moeda norte-americana subiu 0,85%, vendida a R$ 3,9349. Na máxima do dia, bateu R$ 3,9471.

No dia anterior, o dólar terminou o dia a R$ 3,9017, com alta de 0,86%. Cabe à CCJ analisar se a proposta do governo Bolsonaro está de acordo com a Constituição. Se a chamada admissibilidade for aprovada, a reforma seguirá para uma comissão especial, responsável por analisar o mérito (conteúdo) do texto.

A falta de clareza sobre o caminho para a reforma da Previdência levou o J.P. Morgan a revisar recentemente para cima a projeção para o dólar ao fim do segundo trimestre, a R$ 3,80, segundo a Reuters. Na véspera, o BofA Merrill Lynch divulgou pesquisa mostrando que a maioria dos gestores agora vislumbra uma economia de R$ 500 bilhões como um resultado positivo da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) da Previdência, contra R$ 700 bilhões no mês passado. No cenário externo, investidores ficaram de olho em dados positivos da China que ajudaram a amenizar temores de desaceleração econômica.

Atuação do BC

O Banco Central vendeu o lote integral de 5.350 contratos de swap cambial tradicional ofertados nesta quarta-feira em operação de rolagem do vencimento maio. Em 13 leilões neste mês, o BC já vendeu R$ 3,478 bilhões nesses contratos. O lote a expirar em 2 de maio é de US$ 5,343 bilhões.