Home / Notícia / Em evento da Medicina do Trabalho, Longen reforça avanços com reforma trabalhista

Em evento da Medicina do Trabalho, Longen reforça avanços com reforma trabalhista

10 de Agosto, 2018 | Acontece nas Casas | Geral | FIEMS | SESI | Unicom

  • fotoz6
  • fotoz5
  • fotoz4
  • fotoz3
  • fotoz2
  • fotoz1_1
  • fotoz0
  • fotoz00

Um ano após a aprovação a reforma trabalhista já apresenta resultados positivos com relação à produtividade das empresas e não trouxe nenhum prejuízo aos trabalhadores. A afirmação é do presidente da Fiems, Sérgio Longen, durante discursar para uma palestra de médicos do trabalho no Seminário Centro-Oeste da ANAMT (Associação Nacional de Medicina do Trabalho), que começou na última quinta-feira (09/08) e prossegue até sábado (11/08), em Campo Grande (MS).

“Participei de uma série de debates sobre a reforma trabalhista antes de ser aprovada e em nenhum deles conseguimos encontrar quais seriam os prejuízos para os trabalhadores. Até porque mesmo com a modernização da legislação, eles podem requerer seus direitos, mas a grande vantagem é que agora os contratos estão sendo respeitados”, afirmou Sérgio Longen.

O presidente da Fiems acrescenta ainda que a geração de emprego começa quando o trabalhador entender que ele é o dono da sua força de trabalho, tanto para terceirização quanto para o intermitente. Ele aponta também que de junho de 2017 até junho de 2018 o TRT/MS (Tribunal Regional do Trabalho de Mato Grosso do Sul) registrou queda de 40% no número de ações trabalhistas no Estado, diminuindo de 16.873 para 10.177 ações. 

“Em Campo Grande, os números também são semelhantes com redução de 39%, caindo de 5.890 ações para 3.575 no mesmo período, demonstrando o avanço da nova legislação trabalhista. Além disso, agora as convenções e os acordos coletivos podem prevalecer sobre a legislação e a contribuição sindical agora é opcional. Enfim, são dados que comprovam a modernização da nossa legislação”, afirmou Sérgio Longen. 

Ele ainda destacou que o Sistema Fiems se preocupa com a saúde dos trabalhadores e, atualmente, o País conta com oito Centros de Inovação do Sesi que desenvolvem soluções em SST (Saúde e Segurança do Trabalho). “Em maio deste ano inauguramos em Campo Grande o Centro de Inovação do Sesi em Gestão de Saúde e Segurança do Trabalho. Isso mostra que a indústria atua e dá suporte para reduzir os índices de acidentes do trabalho, levando qualificação adequada e contribuindo para uma ação preditiva dentro das empresas”, completou.

Repercussão

Para o presidente do TRT/MS, desembargador do trabalho João de Deus, que também participou do evento, além de garantir mais produtividade às empresas, a reforma trabalhista contribuiu para desafogar o Judiciário, que registrou uma queda de 70% de ações trabalhistas logo que entrou em vigor. “Ouvi uma série de questionamentos de que isso aconteceu porque a Justiça deixou de ser gratuita, mas não era correto que o trabalhador ingressasse com uma ação sem fundamentos, fazendo com que o juiz fosse analisar o caso e a outra parte tivesse de gastar com advogados. Agora, é preciso estudar a ação e ver se ela compensa antes de sufocar o Judiciário com uma série de processos”, ressaltou. 

Na avaliação da presidente da ANAMT, Márcia Bandini, o debate sobre as legislações trabalhistas está longe de estar resolvido, por isso o Seminário também trouxe palestras com essa temática, que é bastante atual. “Um ano após a vigência da lei, ainda vemos uma implantação das principais mudanças de maneira muito tímida no País e essa baixa adesão representa exatamente o quanto ainda vivemos um clima de insegurança jurídica e de muitas técnicas, inclusive. Então estamos muitos felizes por receber no nosso evento representantes de diferentes segmentos da sociedade para que possamos contribuir com esse debate e também pensar em ajustes e melhor aplicação da lei no futuro”, considerou. 

Stand 

Após as palestras, o presidente da Fiems e o presidente do TRT visitaram o stand do Centro de Inovação do Sesi de Mato Grosso do Sul montado durante o Seminário Centro-Oeste da ANAMT. No espaço, está sendo demonstrada a balança multifuncional, que por meio de um software integrado, consegue traçar um perfil sobre a sua saúde, informando a pressão arterial, peso, altura e o índice de massa corpórea.

Segundo a diretora de SST do Sesi, Adriana Sato, a balança faz parte do Programa Saúde em Forma e tem como objetivo traçar um perfil sobre a saúde do trabalhador e, desta forma, a indústria atue com uma abordagem muito mais exata das ações necessárias a serem implementadas na empresa. “Além das informações obtidas por meio da balança, o programa conta com um questionário com 47 perguntas sobre saúde, hábitos de vida e histórico familiar. Essas informações são cruzadas e, a partir daí, podemos propor ações que melhorem a saúde e a qualidade de vida dos trabalhadores”, explicou. 

Ela acrescentou que, além do espaço com a balança multifuncional e com um totem em que é possível responder ao questionário, o Centro de Inovação do Sesi também expõe o artigo “Propostas de Triagem de Saúde para Doenças Crônicas não Transmissíveis”. “É um artigo escrito com base nos resultados obtidos a partir do projeto piloto do Saúde em Forma realizado com os colaboradores do Sistema Fiems em Campo Grande”, completou.