Home / Notícia / Em meio à crise política, Fiems reforça combate à corrupção nas eleições 2018

Em meio à crise política, Fiems reforça combate à corrupção nas eleições 2018

23 de Julho, 2018 | Acontece nas Casas | Geral | FIEMS | Unicom

  • fotoz1_1
  • fotoz2
  • fotoz3

Com apoio da Fiems, o TRE/MS (Tribunal Regional Eleitoral), o MPF (Ministério Público Federal), o MPE (Ministério Público Estadual) e a OAB/MS (Ordem dos Advogados do Brasil em Mato Grosso do Sul) lançaram, nesta segunda-feira (23/07), a campanha “Voto Certo é Voto Limpo”. A iniciativa contará com distribuição de folders de conscientização e de outdoors, bem como veiculação em diversos veículos de comunicação do Estado para que tenha o maior alcance possível entre a população, conscientizando sobre a importância do voto livre e consciente na escolha dos seus representantes.

Na solenidade, realizada no plenário do TRE/MS, a gerente de controladoria interna do Sistema Fiems, Sílvia Vaz Dias Gonda, afirmou que a Federação também foi parceira da campanha nos pleitos anteriores, mas que, diante do cenário atípico, de crise política e descrédito da sociedade nos Poderes, a iniciativa se faz mais necessária nestas eleições. “Há alguns anos a Fiems vem apoiando essa campanha em prol do voto limpo justamente por priorizar essa questão da transparência. É fundamental que, nesta eleição, o eleitor entenda a importância de votar certo, com ética, e naquele candidato que apresente a melhor para o país”, ressaltou.

Em nome do TRE/MS, o desembargador Sérgio Martins destacou que, nesta eleição, diversas instituições somaram forças para disseminar entre o eleitor sul-mato-grossense a importância de não vender o voto. “A campanha existe há muitos anos, mas cada instituição fazia a sua individualmente. Desta vez, a ideia foi construir uma campanha conjunta entre as entidades para que a gente possa ter um maior alcance e possa atingir um número significativo de eleitores, conscientizando-os sobre a importância desta eleição”, disse.

Procurador-regional eleitoral do MPF, Marcos Nassar salientou que, apesar das constantes ações de conscientização, um dos crimes eleitorais mais comuns ainda é a compra de votos. “A corrupção eleitoral por meio da compra de votos ocorre de variadas formas e em grande escala. Este tipo de campanha foca no combate a este ilícito, na conscientização das pessoas e, sobretudo, no fortalecimento das instituições, para que as pessoas saibam que, além de obter informações sobre determinado político, podem e devem denunciar qualquer tentativa ou ato de corrupção. Assim, devagarinho, tornamos as eleições mais limpas e transparentes”, pontuou.

Para o procurador-geral de Justiça do Estado, Paulo Passos, a população está cada vez mais intolerante à corrupção. “A sociedade está se sentindo cada vez mais não representada pelos seus partidos políticos, e tem consciência do poder do voto e como ele pode mudar os rumos do nosso país. Por isso, vai verificar o projeto do candidato, aquele que será revertido em benefício da população”, analisou.

O presidente da OAB/MS, Mansour Karmouche, finalizou afirmando que, desde o início da campanha, foi ressaltada a necessidade do envolvimento de entidades representativas da sociedade organizada. “Fizemos questão de nos unir com as entidades, entre ela a Fiems, pois é uma grande parceira, fazendo com que o trabalho tenha muito mais resultado, porque a sociedade civil organizada tem uma importância muito grande, principalmente na cobrança e na fiscalização dos atos feitos pela legislação pública”, concluiu.