Home / Notícia / Em reunião na Fiems, avança discussão sobre instalação de porto seco em Três Lagoas

Em reunião na Fiems, avança discussão sobre instalação de porto seco em Três Lagoas

26 de Julho, 2017 | Acontece nas Casas | Indústria | FIEMS | Unicom

  • fotoz3
  • fotoz4
  • fotoz2
  • fotoz1_1

O presidente da Fiems, Sérgio Longen, reuniu-se, nesta quarta-feira (26/07), no Edifício Casa da Indústria, em Campo Grande (MS), com o governador Reinaldo Azambuja, com o secretário estadual de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar, Jaime Verruck, com o prefeito de Três Lagoas (MS), Ângelo Guerreiro, e com empresários locais para prosseguir com as discussões acerca da instalação de um porto seco no município. 

Em maio de 2016, o Tribunal de Contas da União (TCU) autorizou a Superintendência Regional da Receita Federal do Brasil da 1ª Região Fiscal a dar continuidade nas ações para a viabilização do Porto Seco de Três Lagoas, mas, desde então, nenhum avanço foi registrado. “Agora, surgiu um grupo de empresários dispostos a doar uma área para a implantação do porto. Uma vez formalizada a doação, a Receita Federal pode dar início ao processo de licitação”, explicou Longen.

Ainda segundo o presidente da Fiems, é urgente e necessário dar prosseguimento a projetos que atraiam investimentos privados para o Estado. “De nada adianta um porto que não atenda às necessidades do setor empresarial. Nesse sentido, podemos contar com o interesse desse grupo de empresários que oferece o terreno e com o prefeito de Três Lagoas, que assumiu o compromisso de levar adiante os projetos que garantirão desenvolvimento ao município”, frisou.

De acordo com o governador Reinaldo Azambuja, o próximo passo é a construção de um escopo jurídico para materializar o projeto. “A ideia vai avançar porque tem segurança jurídica, tem estabilidade dos investidores e tem o apoio tanto da Fiems quanto do Governo e, principalmente, da prefeitura de Três Lagoas. O prefeito Ângelo Guerreiro está bem consciente da importância desse porto seco“, declarou.

Já o prefeito Ângelo Guerreiro classificou a iniciativa como algo de suma importância para o desenvolvimento da região. “O porto seco vem ao encontro das necessidades do município, tendo em vista que Três Lagoas é o principal polo industrial do Estado. Temos grandes empresas, inclusive uma das maiores fábricas de celulose do planeta, e precisamos facilitar e simplificar a importação de matérias-primas e o escoamento da produção local”, pontuou.

Segundo Roberto José Faé, empresário de Três Lagoas, o porto seco é uma reivindicação antiga do setor empresarial do município e o êxito do projeto será benéfico para a sociedade como um todo. “Basta avaliar a demanda que o porto de Santos concentra. O fato de contarmos com um porto seco dentro do nosso Estado vai revolucionar tanto o recebimento de matérias-primas quanto o escoamento da produção”, avaliou.