Home / Notícia / FIEMS entrega mais de 700 cartas de crianças das escolas SESI às mães da linha de frente contra a covid-19 em MS

FIEMS entrega mais de 700 cartas de crianças das escolas SESI às mães da linha de frente contra a covid-19 em MS

8 de Maio, 2021 | Acontece nas Casas | Educação e Formação Profissional | FIEMS | SESI | Dicom

  • ccccartinhas2
  • ccccartinhas
  • ccartinhas

Todo o carinho e gratidão às mães que atuam no atendimento às vítimas da covid-19 nos hospitais de Mato Grosso do Sul foi traduzido em cartinhas escritas por crianças das escolas do SESI no Estado. Foram mais de 700 cartas escritas pelos pequenos que estudam em escolas de Campo Grande, Aparecida do Taboado, Corumbá, Dourados, Três Lagoas, Maracaju e Naviraí.

A entrega começou na sexta-feira (07/05), por Três Lagoas, para as mães que atuam na linha de frente no hospital Auxiliadora, em Corumbá, na Santa Casa e, também, na Santa Casa de Naviraí. Na manhã deste sábado (08/05), foi a vez das mães que trabalham nos hospitais Regional, em Campo Grande; Fesat (Fundação Estatal de Saúde de Aparecida do Taboado), de Aparecida do Taboado; Santa Rita, de Dourados, e Soriano Correia Silva, de Maracaju.

A emoção foi registrada em fotos e vídeos pelas diretoras das escolas do SESI. Em Campo Grande, no Hospital Regional, o carinho dos estudantes surpreendeu as mulheres no plantão deste sábado. Para elas, o reconhecimento de pessoas tão jovens sobre o trabalho de cuidados em saúde não é apenas gratificante, mas indica que fizeram a escolha certa, mesmo quando não conseguem estar com os filhos na especial data do Dia das Mães.

 

Alívio ao cansaço em meio à gratidão das crianças

Na avaliação da neurologista Aline Mizuta Kozoroski Kanashiro, que trabalha na UTI do Hospital Regional no atendimento aos pacientes com Covid-19, a ação fez com que o Dia das Mães fique mais especial. “Eu vou passar o fim de semana todo no hospital, longe dos meus filhos, mas sei que estarei ajudando outras mães e outros filhos. Essa cartinha, dizendo o quanto eu sou linda, especial e batalhadora me deu mais forças para continuar esse trabalho, porque nós todas da linha de frente estamos muito cansadas”.

Outra que vai passar o fim de semana longe dos dois filhos e dos cinco netos é a técnica de enfermagem Milena Einecke. Embora seja a rotina de quem escolheu a saúde como profissão, passar fins de semana longe também é angustiante. “A gente acaba ficando meio chateada, porque vê as fotos de outras mães com seus filhos e dá aquela pontadinha de inveja. E a gente se olha e também vê as colegas todas aqui, apoiando e ajudando outras famílias. Isso compensa, mas agora, com essas cartinhas, ainda mais”.

Já a técnica administrativa Edna Gomes, que trabalha na recepção do Hospital Regional, o mais gratificante do Dia das Mães é saber que está ajudando uma outra mãe a ter mais chances de reencontrar seu filho e vice-versa. “Nós temos muitas mães internadas aqui, mas também temos muitos filhos. Sabemos da importância do nosso trabalho e essas cartas reconhecendo nosso esforço e nossa importância deixa tudo muito especial”.

Ação aproxima crianças da realidade

Na avaliação do gerente do SESI de Campo Grande e de Maracaju, Árinson Todescato Menezes, a instituição desenvolve com os estudantes diversas ações que contribuam para o desenvolvimento de habilidades socioemocionais e para a formação dessas crianças e adolescentes em seres humanos que irão fazer a diferença na sociedade. “Essa ação, em especial, busca levar às mães que estão na linha de frente da pandemia num dia tão especial, o amor, o carinho e a admiração que não só os filhos têm por elas, mas toda a população”.

A estagiária da biblioteca da Escola do SESI de Campo Grande, Jéssica do Nascimento Carrijo, que acompanhou o processo de escrita das cartas das crianças, ressaltou que a ação foi enriquecedora para todos que trabalharam nela. “É uma carta mais linda do que a outra. Os alunos têm consciência da seriedade do momento que estamos passando e da importância do trabalho dessas mães, que estão pelo segundo ano consecutivo nessa luta. As crianças se empenharam, os pais também, porque trouxeram as cartas para a escola e é gratificante ver a emoção dessas mães recebendo nosso carinho”.

Aos 12 anos de idade, a aluna da Escola do SESI de Campo Grande, Eloisa Ferreira, explicou que na carta que escreveu, buscou passar uma sensação de acolhimento. “O Dia das Mães é uma data de comemoração e eu quis que essa mãe tivesse uma sensação boa mesmo longe dos seus filhos num dia em que ela deveria estar com eles. Eu sei que essas mães são essenciais para todo mundo e dão motivação para todos. São as nossas heroínas”.

Confira a emoção desse momento na reportagem: