Home / Notícia / Indústria 4.0 chega ao segmento têxtil e do vestuário e deve criar novas profissões

Indústria 4.0 chega ao segmento têxtil e do vestuário e deve criar novas profissões

5 de Dezembro, 2018 | Acontece nas Casas | Geral | SENAI | Dicom

O segmento da moda tem evoluído a passos largos no rumo da tecnologia e o segmento têxtil e do vestuário já percebe a necessidade de mudança e de busca de mais informações, tecnologias e alternativas para se adequar aos novos modelos de produção exigidos pela Indústria 4.0 e, assim, se manter no mercado.

O gerente de gestão de tecnologia e inovação do Senai, Leandro Schneider, acredita que a indústria pode dar um salto qualitativo se for capaz de incorporar novos conceitos e novas tecnologias. “Os próprios sindicatos nos procuraram solicitando um plano para desenvolvimento do setor. Juntos, estamos traçando várias estratégias para que as indústrias de Mato Grosso do Sul sejam beneficiadas e consigam evoluir nos próximos anos”, afirmou. 

Segundo levantamento do Departamento Nacional do Senai, com a incorporação das tecnologias digitais, como modelagem e simulação, principalmente nas etapas de criação, concepção e prototipagem de produtos na busca pela máxima customização de produtos, além do aumento da automação em diversas partes da costura, profissões como técnico em vestuário, técnico têxtil, desenhista de moda e técnico em produção de moda devem ganhar relevância nos próximos anos. 

Confira as profissões no segmento têxtil e do vestuário que já estão se destacando no mercado:

1 - Técnico em vestuário

Atividade: Desenvolver metodologias para aumento de produtividade; selecionar novos materiais e técnicas de produção para serem utilizados em produtos customizados; estabelecer os processos de gestão de descarte de resíduos da produção; desenvolver e aplicar novas técnicas e ferramentas de controle da qualidade.

Remuneração média: R4 2.446,95

2 - Técnico têxtil

Atividade: Identificar novas tecnologias produtivas para aumento dos níveis de produtividade e redução da geração de efluentes; identificar novas tecnologias de materiais e adequá-las aos processos produtivos; adequar os processos produtivos e matérias-primas aos novos sistemas automatizados.

Remuneração média: R$ 3.592,47

3 - Desenhista de moda

Atividade: Elaborar, em sistemas informatizados de concepção/criação, esboços e desenhos detalhados de peças de vestuário e acessórios; escrever especificações, tais como esquemas de cores, montagem e tipos de tecidos; pesquisar e identificar novas fibras, fios e tecidos e desenhos de modelos para desenvolver projetos para públicos com necessidades mais complexas e específicas.

Remuneração média: R$ 3.154,09

4 - Técnico em produção de moda

Atividade: Aplicar novas mídias e novas tecnologias para o desenvolvimento de catálogo de moda; selecionar materiais e técnicas de produção para serem utilizados em divulgação de produtos; identificar mercados-alvo para projetos, considerando fatores como idade, sexo e nível socioeconômico.

Remuneração média: R$ 2.446,95

Profissões que devem surgir nos próximos anos:

1 - Técnico de projetos de produtos de moda

Atividade: Desenvolver sistemas de processo produtivo para aumento de produtividade e redução de custos; reestruturar áreas de criação, produção, desenvolvimento e expedição; desenvolver produtos e tecnologias para aumento da customização.

2 - Engenheiro em fibras têxteis

Atividade: Desenvolver novas fibras químicas para o processo produtivo adequadas às demandas da cadeia de valor; adequar os processos de fiação, tecelagem e beneficiamentos têxteis às novas fibras.

3- Designer de tecidos avançados

Atividade: Desenvolver projetos de novos tecidos e materiais sintéticos com propriedades predefinidas (por exemplo, telas de memória LED).