Home / Notícia / Indústrias Bunge Alimentos e Inflex recebem Selo Ambiental do Senai

Indústrias Bunge Alimentos e Inflex recebem Selo Ambiental do Senai

13 de Dezembro, 2017 | Acontece nas Casas | Meio Ambiente | SENAI | Unicom

  • 03
  • 01
  • 02

Durante cerimônia realizada no último sábado (09/12) no EcoSesi Observatório Socioambiental, em Bonito (MS), o Senai Empresa entregou às indústrias Bunge Alimentos e Inflex mais um Selo Ambiental do PSE (Programa Senai de Ecoeficiência), que amplia o percentual do incentivo fiscal concedido pelo Governo do Estado e atesta e classifica a eficiência ambiental das empresas. As duas empresas mantiveram o Selo Verde, que representa uma isenção de mais 5% sobre o benefício fiscal concedido pelo Estado.

A entrega do selo é resultado de uma auditoria de manutenção do PSE, realizada a cada ano nas empresas participantes do Programa com o objetivo de atestar as ações realizadas nas empresas que buscam a melhoria contínua no plano de sustentabilidade implantado.

Concomitante com a entrega do Selo, foi realizada também a pactuação de metas do Selo Ambiental com a indústria Inflex, do setor de embalagens plásticas. Esta etapa do Programa estabelece um desafio para as empresas buscarem a manutenção ou melhoria das ações de sustentabilidade, tanto internamente como com a comunidade local.

Na avaliação do Gerente do Senai Empresa, Rodolpho Magialardo, o EcoSESI é um local importante para discutir as ações ambientais das indústrias. “O intuito do PSE é justamente identificar as ações já realizadas e apontar as possibilidades de melhorias. Esperamos que o Programa Senai de Ecoeficiência trará novos desafios para 2018”, declarou.

O Programa

O PSE (Programa Senai de Ecoeficiência) é uma ferramenta de avaliação da gestão ambiental industrial que atesta e classifica a eficiência ambiental das empresas, além de ser utilizado como parâmetro para possibilidade de ampliação de incentivo fiscal no Estado.

O Senai, em parceria com o EcoSesi Bonito, desenvolve o Programa de Ecoeficiência, que dá suporte aos selos ambientais destinados às indústrias do Estado, sendo desenvolvido em 5 etapas: adesão, habilitação, avaliação de gestão ambiental, cálculo do selo ambiental e implementação pelas empresas das ações.

O Selo Verde tem conceito entre 81 a 100 pontos e pode conceder à indústria 5% a mais de incentivo fiscal, enquanto Selo Azul tem conceito entre 61 a 80 pontos e possibilidade de incentivo fiscal de 4% a mais, o Selo Laranja tem conceito entre 41 e 60 pontos e 3% a mais de incentivo fiscal, o Selo Marrom tem conceito entre 21 e 40 pontos e incentivo fiscal de mais 2% e o Selo Branco tem conceito entre 1 a 20 pontos e incentivo fiscal de mais 1%.

A pontuação pode ser revista a qualquer tempo, na vigência do benefício fiscal ou na vigência do prazo estabelecido para execução do processo de auditoria, adequando-se a um novo resultado, aumentando ou diminuindo o nível do selo no limite entre 1% e 5%.