Home / Notícia / Indústrias de Mato Grosso do Sul mantêm investimentos, aponta Fiems

Indústrias de Mato Grosso do Sul mantêm investimentos, aponta Fiems

6 de Outubro, 2008 | Acontece nas Casas | Geral | FIEMS |

As indústrias de Mato Grosso do Sul mantêm investimentos, conforme aponta levantamento da Fiems – Federação das Indústrias de Mato Grosso do Sul – com base nos desembolsos do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) para o Estado no período de janeiro a agosto 2008 em relação ao mesmo período do ano passado.De acordo com os dados do Posto de Informações do BNDES na Fiems, as indústrias continuam mantendo seus níveis de investimentos, sendo as responsáveis pelo aumento dos recursos liberados pela instituição neste ano, com 292% de crescimento de janeiro a agosto de 2008, quando foram liberados R$ 148,8 milhões contra R$ 37,9 milhões no mesmo período do ano passado.Segundo Fábio Fonseca, agente do Posto de Informações do BNDES na Fiems, impactado pelas dificuldades dos frigoríficos do Estado, os demais setores da economia tiveram desempenho negativo. “Os setores de comércio e serviços obtiveram saldo negativo de 41%, tomando R$ 20,9 milhões em 2008 contra R$ 35,5 milhões no ano anterior, enquanto o de infra-estrutura desembolsou 36% a menos, já que de janeiro a agosto deste ano foram liberados R$ 176,6 milhões contra R$ 275,9 milhões no mesmo período de 2007”, detalhou.GeralNo geral, ainda de acordo com o levantamento da Fiems, os desembolsos do BNDES para o Estado nos oito primeiros meses deste ano foram 4% menores em relação ao mesmo período do ano anterior. Conforme Fábio Fonseca, enquanto de janeiro a agosto de 2008 foram desembolsados R$ 464,7 milhões, no mesmo período de 2007 esse montante chegou a R$ 445,2 milhões. Na análise de Fábio Fonseca, os aumentos sucessivos dos desembolsos do BNDES para as indústrias de Mato Grosso do Sul refletem os investimentos que os setores sucroalcooleiro e da construção civil vêm realizando no Estado com implantação de novas unidades, assim, como a modernização, ampliação e expansão das existentes. “Essas indústrias realizam investimentos na ampliação de seu maquinário e instalações, tendência registrada no ano passado e que continua em 2008”, explicou.ModalidadesA modalidade de financiamento que mais cresceu nos últimos oito meses foi o Finame Agrícola (Financiamento a Máquinas e Equipamentos), que registrou aumento de 76%, seguido pelo Cartão BNDES, cujo crescimento foi de 40%. Em valores, as linhas de financiamento com mais desembolsos foram Finame, com R$ 167,9 milhões, seguido pelo Finem (Financiamento a Empreendimentos), com R$ 155,7 milhões.O Finem financia em conjunto projetos de investimentos, visando a implantação, expansão da capacidade produtiva e modernização de empresas, incluída a aquisição de máquinas e equipamentos novos, de fabricação nacional, credenciados pelo BNDES, bem como a importação de maquinários novos, sem similar nacional e capital de giro associado.Nos desembolsos por porte, as pequenas empresas tiveram uma crescimento de 17%, com a liberação de R$ 38,1 milhões no período contra R$ 32,5 milhões de janeiro a agosto de 2007. Quanto à participação nos desembolsos, 88% das operações foram realizadas por micro e pequenas empresas, 6% pelas médias empresas e 6% pelas grandes empresas.