Home / Notícia / Na aula de Redação, alunos da Escola do Sesi de Dourados desenvolvem anúncio publicitário

Na aula de Redação, alunos da Escola do Sesi de Dourados desenvolvem anúncio publicitário

11 de Setembro, 2019 | Acontece nas Casas | Educação e Formação Profissional | SESI | Dicom

  • img_5251
  • img_5239
  • img_5238
  • img_5186
  • img_5184
  • img_5183
  • img_5182
  • img_5180

Na aula de Técnicas de Redação, alunos da 8ª série da Escola do Sesi de Dourados produziram um texto publicitário, vinculado a um anúncio de produtos que eles mesmos criaram, com direito a logotipo e marca.

Segundo o professor da disciplina, Johnny Lima, o objetivo foi desenvolver a habilidade de persuasão proposto no material apostilado, e mostrar aos alunos o poder do convencimento por meio de um anúncio publicitário.

“Eles tinham como meta convencer as pessoas que assistissem o comercial a comprar os produtos, para isso precisaram escolher um produto, criar uma marca, dar um nome, verificar a que tipo de segmento pertence na indústria, criar um logotipo, e uma frase slogan. Na apresentação do trabalho deveriam mostrar o produto escolhido e fazer a degustação com a classe”, descreve o professor.

Jhonny acrescenta, ainda, que a atividade proposta desperta o lado empreendedor do aluno, uma das propostas da rede de ensino do Sesi que, em parceria com o Sebrae, oferece na grade curricular a disciplina de Empreendedorismo, utilizando o material didático JEEP (Jovem Empreendedor Primeiros Passos).

“Embora não tenha sido trabalhada diretamente em conjunto com a disciplina de empreendedorismo, possui todas as etapas do desenvolvimento de um produto e foca na arte de persuadir. Os alunos conseguiram perceber as relações entre as disciplinas e isso é o mais bacana”, analisa.

Para os alunos, a aula diferente foi uma oportunidade de aprender também de forma diferenciada. “Achei que foi interessante trabalhar assim, porque é um jeito diferente. Você aprende de outra maneira e se você for trabalhar com isso, você já vai estar preparado”, considera a aluna Camila Correia.