Home / Notícia / Professora da escola do SESI usa a culinária para ensinar ciências da natureza

Professora da escola do SESI usa a culinária para ensinar ciências da natureza

3 de Maio, 2021 | Acontece nas Casas | Educação e Formação Profissional | SESI | Dicom

Os estudantes do 6.º ano da Escola do SESI de Campo Grande soltaram a imaginação e criatividade para reproduzirem modelos de células usando alimentos. O trabalho foi realizado durante as aulas de ciências da natureza ao longo do mês, a atividade foi desenvolvida de forma remota, por medidas de biossegurança.

A professora de ciências da natureza da Escola do SESI de Campo Grande, Alice Coimbra, falou do entusiasmo dos alunos no desenvolvimento da atividade e como esse tipo de  trabalho auxilia no aprendizado dos jovens. “A atividade possibilitou a memorização e a aprendizagem de cada tipo de célula, de maneira criativa e divertida, promovendo a interação entre os estudantes. Além disso, após o término da atividade cada aluno pode saborear o modelo comestível de célula. Mesmo de forma remota, os alunos demostraram interesse e responsabilidade no desenvolvimento do trabalho e compartilharam suas ideias de forma criativa e prazerosa”.

Atividade compartilhada com os pais

A atividade foi desenvolvida em duas etapas, a primeira com aulas teóricas, quando foram apresentadas as funções celulares. A segunda etapa foi marcada pela parte prática, com a construção dos modelos de células usando alimentos como frutas, pães e doces. Nessa fase os pais também participaram, auxiliando as crianças na cozinha. Ao final os alunos realizaram uma apresentação virtual para os outros colegas de sala e fizeram a degustação dos modelos criados.

A aluna do 6.º ano da Escola do SESI de Campo Grande, Beatriz Sayuri Pinheiro Shiroma, falou sobre como a atividade foi divertida e despertou a criatividade dos estudantes. “Adorei fazer uma mini maquete comestível de uma célula, assim que a professora falou sobre a atividade eu me empolguei e queria fazer inúmeras coisas. Com a ajuda da minha mãe resolvi fazer um ovo de páscoa representando a célula, de forma detalhada consegui representar as organelas e cada parte da célula. Achei a atividade muito interessante e uma forma muito legal de aprender melhor sobre as células e suas funções”. 

Aprendizado divertido cria memória para estudantes

Alegria compartilhada com o estudante do 6.º ano da Escola do SESI de Campo Grande, Jefer Misael. Ele destacou que além de aprender mais sobre as células, a parte que mais gostou foi provar as frutas usadas no trabalho.  “Achei legal fazer minha maquete e depois comer e conhecer as maquetes dos outros colegas. Uma parte que achei chato foi, que a cada maquete apresentada eu ficava com mais fome e vontade de comer. No geral foi bem divertido, uma ótima experiência”.