Home / Notícia / Programa do Senai ajuda indústrias de Mato Grosso do Sul a reduzirem consumo e custos de energia

Programa do Senai ajuda indústrias de Mato Grosso do Sul a reduzirem consumo e custos de energia

11 de Abril, 2019 | Acontece nas Casas | Indústria | SENAI | Dicom

  • fotozguaciraz3
  • fotozguaciraz2
  • fotozguaciraz1

A energia é considerada um dos principais insumos da indústria e, por isso, a competitividade do setor está diretamente relacionada com a qualidade, a eficiência e a racionalização dos custos. Pensando nisso, o Senai, em parceria com o Governo Federal, desenvolve o “Programa Indústria Mais Eficiente”, que visa elevar a produtividade de processos produtivos com a promoção de melhorias rápidas, baixo custo e alto impacto para as pequenas e médias indústrias do País. 

Segundo o engenheiro-eletricista do Senai Empresa, Elton da Silva Paim, o projeto consiste na elaboração de um diagnóstico energético com objetivo de identificar oportunidades de melhorias que contribuam para redução do consumo e dos custos de energia na indústria. “A metodologia utiliza como base as premissas da ISO 50.001 com foco em reduzir os desperdícios e otimizar a utilização dos equipamentos, máquinas, insumos energéticos ou processos em curto e médio prazo”, explicou.

Ele ainda acrescentou que, paralelamente, é realizada uma análise tarifária para verificação de possibilidades para o ajuste do perfil consumidor e melhor enquadramento para redução de custos. “As intervenções visam elevar a produtividade dos processos produtivos, com a promoção de melhorias rápidas, de baixo custo e alto impacto. Desta forma, como a energia é um insumo de extrema importância e com alto custo, a redução dos desperdícios associada a otimização dos processos é uma maneira prática e assertiva para o melhorar produtividade e elevar a competitividade industrial”, completou.

Empresas

Em Mato Grosso do Sul, fazem parte do programa as empresas Guacira Alimentos, Cerâmica Campo Grande, Tecor Indústria Cerâmica, Konesul e Cerâmica Cotto Figueira. Com 140 horas, a consultoria é dividida em quatro fases: identificação de usos finais e cargas alvo; coleta e análise de dados; apresentação da proposta de intervenção; e implementação de soluções e acompanhamento.

Na avaliação da analista de qualidade da Guacira Alimentos, Ana Maria Magalhães Araújo, o “Indústria Mais Eficiente” trouxe a solução para um problema que a empresa nem sabia que enfrentava. “Descobrimos vazamentos na nossa rede de ar comprimido, que interliga as nossas máquinas. Com isso, nossos compressores estavam trabalhando mais do que deveriam. Realizamos manutenção de rede constantemente, mas não tínhamos identificados esses vazamentos ainda”, afirmou. 

A consultoria ainda apresentou uma série de alterações para melhorar os gastos com a conta de energia. “Começamos a implementação das alterações há uma semana, então ainda não fizemos todas as sugestões propostas pelo Senai Empresa. Para que houvesse esse diagnóstico, eles fizeram a avaliação do sistema de energia e dos compressores, a mensuração dos aparelhos e uma avaliação das contas de energia, com correção do fator de potência para evitar multas. Estamos muito satisfeitos com o diagnóstico e agora estamos otimistas com o resultado final”, concluiu.

Serviço – Mais informações sobre o “Programa Indústria Mais Eficiente” podem ser obtidas pelo telefone 0800 7070 745