Home / Notícia / Projetos inovadores das escolas do Sesi são premiados em Feira de Tecnologia do IFMS

Projetos inovadores das escolas do Sesi são premiados em Feira de Tecnologia do IFMS

8 de Outubro, 2019 | Acontece nas Casas | Geral | SESI | Dicom

  • fotozsesiztreszlagoasz2
  • fotozsesiztreszlagoasz1
  • fotozsesizaparecidazdoztaboado
  • fotozsesiznavirai
  • fotozsesizcampozgrande

Os alunos das escolas do Sesi de Aparecida do Taboado, Campo Grande, Naviraí e Três Lagoas tiveram 14 trabalhos premiados durante a Feira de Ciência e Tecnologia do IFMS (Instituto Federal de Mato Grosso do Sul), realizada na semana passada. Os alunos da instituição de ensino ocuparam o pódio e conquistaram o primeiro lugar nas feiras de três diferentes municípios: Três Lagoas, Aparecida do Taboado e Naviraí.

Na cidade de Três Lagoas, os projetos participantes foram os campeões em três categorias: Melhor Projeto de Sustentabilidade (“Floresta Urbana: Ciclo Sustentável como Obrigatoriedade Progressiva na Norma Arquitetônica), Melhor Projeto do Ensino Fundamental (“Arborização Invertida”) e Melhor Projeto Nível Médio externo (“Economizador de energia utilizando ímãs de neodímio”).

Em Aparecida do Taboado, o projeto de propriedades repelentes aplicadas ao caruncho do milho ganhou o 1º lugar na categoria Projeto de Ensino Médio Externo e 2º lugar na categoria Ciências Biológicas e Saúde, enquanto em Naviraí o projeto sobre o bloqueio de sinal de celulares em presídios ficou em 1º lugar na categoria Ciências Agrárias e Engenharia e, na Capital, a cafeteira ativada por comando de voz recebeu o 3º lugar na categoria Multidisciplinar.

Três Lagoas

Com foco na sustentabilidade e tecnologia, os alunos da Iniciação Científica da Escola do Sesi elaboraram os projetos e voltaram com três premiações do IFMS. "Além dos prêmios, a participação foi muito importante para o aprendizado dos alunos que estão ingressando na pesquisa e puderam ver o funcionamento de uma feira científica. As expectativas para as feiras no próximo ano são muito grandes", comemorou a professora de Ciências e articuladora da Iniciação Científica, Michele Pacheco Garcia.

Para os alunos, além do reconhecimento obtido com o prêmio, a participação no evento científico foi um importante aprendizado. "Foi uma experiência muito interessante para adquirir conhecimento a respeito de apresentação e como confeccionar banner”, comentou Júlia Santos, do 7º ano. "Receber a premiação de 1º lugar em melhor projeto do Fundamental II foi extraordinário, nunca esqueceremos, e o melhor foi representar a escola e ter aprendido muito!”, completou Hermione Michelle dos Santos, do 9º ano.

Aparecida do Taboado

Um dos principais fatores que leva a perdas e consequente desperdício de grãos vendidos em embalagens plásticas, como arroz, milho e feijão, é a proliferação do caruncho (Sitophilus sp.), que perfura facilmente as embalagens plásticas e se multiplica rapidamente, tornando os grãos inviáveis para o consumo. Pensando nisso, os alunos do 2º ano do Ensino Médio da Escola do Sesi de Aparecida do Taboado desenvolveram um repelente do gorgulho do milho (Sitophilus zeamais) à base dos frutos de noni (Morinda citrifolia).

Segundo o aluno João Vitor Sidronio, que participou do projeto, houve vários testes que mostraram que esses insetos evitavam o contato com o noni. “Escolhemos esse projeto porque vimos uma questão comercial muito forte e que afeta a alimentação e a saúde, então pensamos num protótipo para amenizar esse problema de uma forma lógica e desenvolvemos esse projeto incrível, que trouxe um grande conhecimento, pesquisa. Estamos muito felizes com a premiação, porque é um reconhecimento de todo o nosso esforço”, declarou.

Naviraí

Com o projeto “Sem Sinal – Uma Forma de Reduzir o Uso de Celulares em Presídios do Brasil”, que se baseia em uma gaiola de blindagem eletrostática, a “Gaiola de Faraday”, os sinais dos aparelhos de telefonia móvel são bloqueados dentro dos presídios sem causar transtornos aos moradores dos arredores e a um custo mais baixo, as alunas do 9º ano do Ensino Fundamental da Escola do Sesi de Naviraí ficaram em 1º lugar na categoria Ciências Agrárias e Engenharia.

A aluna Melissa Vieira, que desenvolveu o projeto “Sem Sinal”, destacou que a participação na feira proporcionou um crescimento único. “Foi muito gratificante participar do evento, porque recebemos muitas críticas positivas e construtivas que com certeza vão nos ajudar num maior desempenho nesse projeto”, comentou. Também foram premiados outros oito projetos apresentados pela Escola do Sesi de Naviraí: “Cultivo de Egeria Densa para Produção de Oxigênio” ficou em 3º lugar na categoria Ciências Biológicas e da Saúde (Ensino Fundamental); “Alimentador de Animais Automatizado”, ficou em 3º lugar na categoria Ciências Agrárias e Engenharia (Ensino Médio); “Arte com Pneus – Parquinho Ecológico”, que recebeu o prêmio de 3º lugar na categoria Multidisciplinar;  “Bengala Automatiza”, que ganhou o 2º lugar na categoria Multidisciplinar; e “Placa Sustentável”, que ficou em 3º lugar na categoria Ciências Agrárias e Engenharia (Ensino Fundamental).

O projeto “Política Jovem – Uma Análise da Participação da Juventude na Política” ficou em 3º lugar na categoria Ciências Humanas, Sociais Aplicadas e Linguística (Ensino Médio), “Sala Controlada”, ganhou o 2º lugar na categoria Ciências Agrárias e Engenharia (Ensino Fundamental), e “Smart Chair – Block Rain”, que foi classificado em 3º lugar na categoria Multidisciplinar. O aluno Vitor Madeira, também do 9º ano e que participou do projeto “Bengala Automática”, ressaltou a troca de informações. “Foi muito interessante porque tive a oportunidade de encontrar muitas pessoas inteligentes que compartilharam os conhecimentos com seus projetos. Ter um projeto premiado foi incrível, mas acho que o mais bacana é todo o aprendizado que tivemos ao longo desse processo e também durante o evento”, salientou.

Campo Grande

Na Capital, os alunos da Escola do Sesi pensaram na acessibilidade e comodidade dos usuários quando desenvolveram uma cafeteira ativada por comando de voz, que rendeu o 3º lugar na categoria Multidisciplinar. “Participar da Feira de Ciência e Tecnologia do IFMS foi muito importante porque tive muito aprendizado. Esse foi nosso primeiro projeto, que não estava totalmente finalizada, então acho que foi ainda mais legal. Queremos continuar nos dedicando porque essa premiação mostra que estamos no caminho certo”, disse a aluna Mariana Arfux, da 1ª série do Ensino Médio.

O aluno Adolfo Melgarejo, também da 1ª série do Ensino Médio, ressaltou o aprendizado adquirido durante o desenvolvimento do projeto. “Para mim foi uma experiência diferente e única, porque eu nunca tinha participado de nenhum outro evento científico. Apresentamos o protótipo de uma cafeteira e conseguir o terceiro lugar foi algo incrível para mim. Estou muito feliz porque acredito que essa premiação é um reconhecimento pelo nosso esforço e dedicação”, declarou.