Home / Notícia / Sistema FIEMS vai investir R$ 28 milhões na obra do CISS de Ribas do Rio Pardo

Sistema FIEMS vai investir R$ 28 milhões na obra do CISS de Ribas do Rio Pardo

29 de Setembro, 2021 | Acontece nas Casas | Indústria | FIEMS | SESI | SENAI | Dicom

  • ciss_ribas_do_rio_pardo_fiems
  • ciss_ribas_do_rio_pardo_fiems_representante_evento
  • ciss_ribas_do_rio_pardo_fiems_representante_pedra_fundamental
  • ciss_ribas_do_rio_pardo_fiems_representante_longen
  • ciss_ribas_do_rio_pardo_fiems_representante_paulo_correa
  • ciss_ribas_do_rio_pardo_fiems_representante_jaime_verruck
  • ciss_ribas_do_rio_pardo_fiems_prefeito
  • ciss_ribas_do_rio_pardo_fiems_representante_suzano

O Sistema FIEMS vai investir R$ 28 milhões na obra do CISS (Centro Integrado SESI SENAI) no município de Ribas do Rio Pardo. Segundo o presidente da FIEMS, Sérgio Longen, esse será um dos mais modernos CISS do Estado e condiz com as necessidades empresariais da cidade. “Ribas do Rio Pardo é a nossa grande cidade empreendedora. Tem todas as condições e, hoje, está em processo de evolução  muito grande no desenvolvimento industrial”.

Durante o lançamento da pedra fundamental da obra, ocorrido na manhã desta quarta-feira, dia 29, Longen afirmou que a construção do CISS ajuda a enfrentar o desafio da qualificação profissional em Mato Grosso do Sul. “O desafio hoje é que a sociedade entenda que precisa se qualificar. Salários vêm com a educação, com profissionalização”.

A explosão de demanda por profissionais qualificados em Ribas do Rio Pardo ocorreu com o início dos trabalhos de instalação, pela Suzano, da maior fábrica de celulose do mundo. Com investimento previsto de R$ 14,7 bilhões, a unidade terá capacidade de produzir 2,3 milhões de toneladas de eucalipto ao ano, e passa a operar em 2024. Até lá serão necessários 10 mil trabalhadores para a fase de obras.

Presente no lançamento da pedra fundamental do CISS na cidade, o presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul, Paulo Corrêa, explicou que o centro é importante para atender às demandas da Suzano e das demais empresas que poderão atuar em Ribas do Rio Pardo. “O maior investimento que está acontecendo no Brasil está acontecendo em Ribas. Vamos ser referência mundial em celulose”.

Jaime Verruck, titular da Semagro (Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar), também destacou o protagonismo econômico vivido pela cidade de Ribas do Rio Pardo. “Estamos no mapa mundial da celulose”. O secretário, que também esteve no ato, ainda se comprometeu em atuar pela pavimentação da rua onde será instalado o CISS.

A edificação do CISS é motivo de comemoração para o município, como explicou o prefeito da cidade, João Alfredo Denieze. “Além de termos pleno emprego por meio da Suzano, temos agora o início da capacitação profissional. Nossa preocupação agora é fazer com que as pessoas menos favorecidas tenham acesso a ensino de qualidade. Só temos a agradecer pela iniciativa do Sistema FIEMS, por meio do SESI e do SENAI”.

CISS oferece educação, capacitação de mão de obra e serviços em três municípios de MS

SESI e SENAI já caminham juntos por meio de centros integrados em três municípios sul-mato-grossenses: Naviraí, Maracaju e Aparecida do Taboado. A nova unidade do CISS, em Ribas do Rio Pardo, terá capacidade de suprir as demandas relacionadas à capacitação de mão de obra para o município, a Suzano e as demais empresas locais. Além disso, trará uma proposta pedagógica inovadora em que o aluno é protagonista em sua formação intelectual. A previsão é de que, após o início das obras, o centro seja concluído em 18 meses.

Rodolpho Caesar Mangialardo, diretor regional do SENAI, detalha o projeto para a cidade e explica onde os recursos serão aplicados.  “O CISS vai contar com uma estrutura adaptada às necessidades da nova Indústria 4.0, que é a Quarta Revolução Industrial e traz conceitos como Internet das Coisas (IoT), automação, robótica, entre outros. Além de disseminar essa modernização, o SENAI terá a oportunidade de aprender novas tecnologias com a indústria de ponta a ser instalada em Ribas do Rio Pardo. É um orgulho e um privilégio participar desse processo”.

O SENAI vai oferecer cursos de aprendizado e qualificação profissional, cursos técnicos e uma novidade: os cursos pós-técnicos, destinados a quem já finalizou o ensino técnico e que permitem o aprofundamento em novas tecnologias. 

O portfólio de serviços do SENAI traz consultoria em áreas de meio ambiente, manutenção industrial, energias renováveis e Normas Reguladoras (NR). Há ainda uma série de laboratórios planejados pelo SENAI nas áreas de: Informática, Florestal, Química, Celulose e Papel, Metrologia, Segurança, Elétrica, Automação, Mecânica, Mecânica Diesel, Solda, Construção Civil.

SESI quer colocar o aluno no centro do processo pedagógico

Transformar o aluno em protagonista em sua jornada de aprendizado. Essa é uma abordagem inovadora que o SESI levará a Ribas do Rio Pardo, por meio da Escola SESI – um dos componentes do CISS. 

Régis Borges, superintendente regional do SESI, conta que a nova unidade já será implantada sob o modelo da Nova Escola SESI – um compromisso de entregar ensino de excelência e formar cidadãos de valor para a construção de uma sociedade melhor. “A Nova Escola SESI quer fazer com que o aluno se envolva no processo de aprendizado e que esteja no centro desse processo. O ambiente onde ele está inserido deve inspirar a aprendizagem. Tanto o corpo técnico como os recursos tecnológicos, pedagógicos e de infraestrutura são interdisciplinares e interconectados”. 

A integração voltada ao ensino também se dá entre SESI e SENAI. Segundo Borges, há um planejamento para que os itinerários formativos sejam elaborados em parceria entre as duas entidades, proporcionando ao aluno uma visão mais atual do mundo. Programação de jogos digitais, informática aplicada à internet e biotecnologia são algumas das disciplinas pensadas em conjunto. O modelo da Nova Escola SESI começa a ser implantado em 2022 nas sete unidades espalhadas por Mato Grosso do Sul, e o processo de implantação deve durar dois anos.

Veja mais: