Home / Notícia / Diretores do Sistema Fiems analisam propostas de pré-candidatos à Presidência da República em debate no DF

Diretores do Sistema Fiems analisam propostas de pré-candidatos à Presidência da República em debate no DF

29 de Junho, 2022 | Acontece nas Casas | Geral | FIEMS | Dicom

  • cni_enai_dialogos_industria_fiems_01
  • cni_enai_dialogos_industria_fiems_08
  • cni_enai_dialogos_industria_fiems_02
  • cni_enai_dialogos_industria_fiems_03
  • cni_enai_dialogos_industria_fiems_07
  • cni_enai_dialogos_industria_fiems_06
  • cni_enai_dialogos_industria_fiems_05
  • cni_enai_dialogos_industria_fiems_04

Diretores do Sistema Fiems participaram nesta quarta-feira (29/06), em Brasília (DF), do “Diálogo da Indústria com os pré-candidatos à Presidência da República”. O evento promovido pela CNI (Confederação Nacional da Indústria) contou com a presença de mais de 1,2 mil empresários e dirigentes de federações industriais de todo o país, reunidos no Centro Internacional de Convenções do Brasil. A comitiva sul-mato-grossense contou com 17 empresários.

No período da manhã, o debate foi realizado com Simone Tebet (MDB) e Ciro Gomes (PDT). À tarde, foi a vez do presidente Jair Bolsonaro (PL). Cada pré-candidato teve direito a cerca de uma hora para expor suas propostas para o segmento industrial, ouvir sugestões da classe industrial e responder questionamentos dos representantes das federações.

O evento permitiu uma análise comparativa das propostas apresentadas pelos pré-candidatos. Com essas informações, os industriais poderão avaliar as perspectivas para o cenário econômico e planejar investimentos para os próximos anos. Desde 1994, a indústria apresenta suas propostas aos pré-candidatos à Presidência da República.

O presidente regional da Abigraf-MS (Associação Brasileira das Indústrias Gráficas), Julião Flaves Gaúna, destacou o papel do presidente da Fiems, Sérgio Longen, em viabilizar a participação dos diretores ao diálogo com os presidenciáveis. O líder sindical fez um balanço das apresentações assistidas em Brasília. “Vejo que cada um tem uma vertente. Uns mais conservadores, outros mais liberais, outros mais fechados, mas cabe a cada um de nós, com sua capacidade de observação, entender o que é melhor para o povo e fazer o melhor voto para que a gente possa viver em liberdade”, disse.

Na avaliação do vice-presidente do Sindiplast/MS (Sindicato das Indústrias Plásticas e Petroquímicas de Mato Grosso do Sul), Zigomar Burille, os debates são proveitosos e servem para reforçar o compromisso dos pré-candidatos com as reivindicações do segmento industrial. “Os pré-candidatos sabem o que deve ser feito. O problema é, depois de eleito, dar continuidade ao plano de governo e fazer aquilo que é necessário para que o país cresça e tenha prosperidade. Esse debate dá muita força à CNI, e dá responsabilidade, a quem for eleito, de atender as reivindicações da indústria”, afirmou.

O vice-presidente do Sinvesul (Sindicato das Empresas do Vestuário Industrial da Região Sul de Mato Grosso do Sul), Gilson Kleber Lomba, disse que os diálogos promovidos pela CNI com os presidenciáveis demonstram a força da organização sindical da indústria brasileira. “A gente fica muito feliz de ver a CNI conduzindo o processo de debate sobre o futuro da indústria e do Brasil. Isso nos deixa muito otimistas. Esse debate que a gente faz aqui, devemos também levar para os nossos estados e federações. É um debate que o Brasil precisa e que a indústria está puxando de uma forma muito inteligente”, reforçou.

Já o vice-presidente do Siams (Sindicato Intermunicipal das Indústrias da Alimentação de Mato Grosso do Sul), Walter Gargione Adames disse que ficou satisfeito com a apresentação dos presidenciáveis. “Foi muito interessante a gente ouvir todo mundo. Deu para ver as propostas de cada um e se situar. Todos colocaram seus pontos de vista, e acredito que eles aceitaram de bom grado as propostas que a CNI enviou. Isso é muito importante”, finalizou.