Home / Notícia / Projeto 60+: Curso de inclusão digital da melhor idade chega a mais seis cidades de MS

Projeto 60+: Curso de inclusão digital da melhor idade chega a mais seis cidades de MS

15 de Junho, 2022 | Acontece nas Casas | Economia e Trabalho | SESI | Dicom

  • nova_alvorada_do_sul

O Projeto 60+ tem levado inclusão digital à melhor idade para todos os cantos de Mato Grosso do Sul. Na última semana, novas turmas foram abertas em seis cidades: Antônio João, Bela Vista, Nioaque, Nova Alvorada do Sul, Nova Andradina e Terenos. As aulas são ministradas nas unidades da Biblioteca da Indústria do Conhecimento do Sesi. 

Com objetivo de preparar os idosos para os desafios da tecnologia da comunicação e da internet, o Projeto 60+ conta com aulas semanais ao longo de quatro meses, com carga horária de 30 horas. Interessados podem procurar o Sesi em sua cidade e fazer a pré-inscrição. As vagas são limitadas.

Em Nova Alvorada do Sul, a aula inaugural do projeto contou com a presença do superintendente regional do Sesi, Régis Borges. O gestor desejou sucesso aos novos alunos. "Vocês vão aprender o conteúdo de forma muito suave, e no final, sem que percebam, já vão estar enviando e-mails, criando vídeos e postando nas redes sociais. Em breve veremos esse aprendizado render muitos frutos", disse.

Heitor Rodrigues, matriculado no Projeto 60+, disse que é uma alegria frequentar um curso do Sesi, instituição na qual o irmão, Ramão, já falecido, trabalhou por muitos anos. "Vim para aprender a usar o celular e me conectar com as novas mídias. Até comprei um novo celular para isso”, disse.

Em Terenos, as monitoras da Biblioteca Sesi receberam os estudantes com um café da manhã e um momento de acolhida. Prestigiaram a aula inaugural o gerente regional de Campo Grande do Sesi, Arinson Todescato Menezes, a primeira-dama de Terenos, Cacilda Hidelbrand Budke; além de gestores municipais nas áreas de educação e assistência social.

Em Nova Andradina, o prefeito Gilberto Garcia compareceu à aula inaugural e deixou uma palavra de incentivo aos idosos para que concluam o curso. "Quem não tem conhecimento, está sujeito a ser mais uma vítima de golpes nas redes sociais, que acontecem todos os dias", observou o mandatário.

A aluna Maria Lima dos Santos, de 65 anos, agradeceu pela oportunidade de aprender sobre informática e internet. "Esse curso vai me ajudar muito a ter conhecimento com o celular, pois sempre tenho que pedir ajuda à minha filha. Com o curso, vou poder fazer minhas coisas sozinha. Agradeço ao Sesi por ter esse olhar voltado para os idosos".

Em Bela Vista, o primeiro dia de aula foi marcado por atividades realizadas pela pedagoga Patrícia Ortelhado junto aos alunos. Para estreitar os vínculos da turma, foi lançado um desafio para que os alunos gravassem depoimentos em vídeo sobre o que é ser idoso. Eles também puderam adotar plantas, que deverão ser cuidadas durante todo o curso. 

"O maior desafio deste público está em criar o sentimento de pertencimento ao espaço, estabelecer o afeto e a confiança com os idosos, para que as chances de desistência sejam minimizadas. Foi um dia em que rolou muita selfie, gravações e mimos com os alunos. Eles são especiais porque carregam um oceano de experiências e vivências, que devem ser enaltecidas pela nossa sociedade", destacou a pedagoga. 

Em Antônio João, a acolhida aos alunos contou com a presença do prefeito Agnaldo Marcelo de Oliveira e da secretária municipal de educação, Cristiane Ramos da Silva. "Preparamos um delicioso café da manhã para nossa aula inaugural com a apresentação do material pedagógico. Os idosos foram muito receptivos e gostaram muito do projeto", disse a monitora Franciella Bertoli de Oliveira.

Em Nioaque, a recepção foi um momento de integração, para que os idosos conhecessem os colegas e também a metodologia de ensino do curso. Logo na primeira aula, os alunos enriqueceram seu aprendizado. “Hoje aprendi três coisas novas e já fiz e refiz várias vezes, para não esquecer e repassar para minha esposa. Foi muito gratificante, estou empolgado para as próximas aulas”, disse Mario Amarila de Deus, de 65 anos.